First

Fiquei pensando outro dia que eu sou eu. Parece um pensamento bem estranho de se ter, mas só sabendo esse tipo de coisa que a gente acaba chegando a conclusão que não sabe direito o que é. Não o que. O que sou eu sei: ser humano. Quem sou? Aquele pensamentozinho que nasceu, foi de mim? Aquela vontadezinha de comer chocolate sou eu? Se eu sou eu até nos pequenos gestos, se eu mudar os pequenos gestos deixo de ser eu? mas aí vou continuar sendo eu, de outro jeito. Um eu mudado. Um outro eu, ainda que reconheçam a gente na rua, vc sabe que não é a mesma pessoa. Tá, sem aquele papo careta de o rio e o homem mudam, não to falando de água, to falando de dia a dia. Por exemplo. Eu guardo sempre o bilhete único no bolso do celular. Eu passei a guardar na carteira. Eu sou eu? Se eu sou o que eu penso, eu nunca paro de modificar? se eu nunca paro de modificar, como eu tenho parâmetros prá saber quem sou eu?
.
.
.
De fato, a gente sempre é EU. O difícil é saber como.

Um comentário:

Igor disse...

É... tem hora que eu me vejo perdido, coisa do tipo: "Puxa, eu posso ver...", "Olha!!! Eu tenho um corpo!", "Olha eu sei pensar!"... Será que é verdade? Acho, vezes, que ninguém existe, só eu, outras, que todos existem menos eu... sei lá... mas eu adorei o teu blog... em geral eu goso de blogs... acho um pouco mais pessoal e sozinho que orkuts, ou My Spaces, ou sei lá... O que eu estou dizendo?!?!