Cansei de ter de cobrir-me de tristezas
Para verter poesia!
Ah!

Não posso eu jorrar algo em que floresça
Os tais dias felizes esperados?

Não pode ser essa metade de mim a que canta?

Por que até em chamar-te padeço, Contenteza?

Ventura, ouça:

Peço imploro
Te profetizo, Regozijo
Te invoco, Alegria
Conjuro teu nome catorze,
infinitas vezes,
Teus inúmeros nomes.

Canta sobre meu corpo
Verte sobre o meu verso
inspira minha torrente
Sangra a purificação.

3 comentários:

Tatiana disse...

bem mais feliz..
ps: semana passada descobri que tinha prolapso da válvula mitral..achei muito chique e ainda não me assutou o suficiente para alrgar o marlboro...

tiago disse...

pior que a tristeza é bela. beijo.

blambers disse...

não vai nunca mais escrever nada, canalha?
to enjoada de esperar.
o mundo precisa de alguns bons poemas.